Por que Salvador?

  • A+
  • A-

A cidade de Salvador

Foi fundada em 1549, com o nome de São Salvador da Bahia de Todos os Santos.

Salvador, capital do Estado da Bahia é hoje a terceira maior metrópole do Brasil em seguida à São Paulo e Rio de Janeiro. Foi também a primeira capital do país por mais de 200 anos, nos séculos XVI, XVII e XVIII.

A partir de 1714, o Brasil foi elevado a Vice – Reino, sendo a cidade de Salvador a capital. No século XVIII era a segunda cidade do Império Português, atrás apenas de Lisboa, configurando-se como o maior porto estaleiro e exportador do hemisfério Sul.

A destinação Salvador localiza-se na entrada da Baía de Todos os Santos, a maior do país e primeira do mundo em águas tropicais, onde se encontram 56 ilhas e grande diversidade natural, formada por Mata Atlântica, coqueirais, manguezais e recifes de corais

Latitude 13 0' 37''S e Longitude 38 31' 59''W:

Coordenadas da antiga ponta do padrão, hoje Farol da Barra, no Forte de Santo Antônio da Barra, na entrada da Baía de Todos os Santos.

Nessa cidade de muitos contrastes, histórica e moderna, sobrados e prédios monumentais contrastam  a arquitetura moderna e contemporânea da cidade.

Itapuã, bairro mais a nordeste da orla de Salvador, ainda é hoje, em parte, uma comunidade pesqueira povoada por descendentes de negros escravos e índios, onde várias manifestações culturais “de raiz” acontecem durante todo o ano.

Vários nomes indígenas denominam bairros e locais em Salvador: Itapuã - Ita (pedra), puã: (alçada, elevada, redonda); Pituaçu - Pitu (camarão), Açu (grande); Abaeté - Abá (Gente), eté (diferente) / Abá (“homem”), eté (“verdadeiro”); Pituba: brisa, sopro forte; Além de muitos outros nomes em Tupi-guarani.

O profano das inúmeras festas populares – que se realizam sobretudo no verão - mistura-se perfeitamente às celebrações das religiões católica e do Candomblé de matriz africana, duas das maiores dos soteropolitanos, aqueles que nascem em Salvador.

Os sinos das velhas igrejas se confundem com o som dos berimbaus, instrumentos musicais da capoeira - luta criada pelos escravos africanos - e com o som dos atabaques das festas nos templos da religião do Povo de Santo, o Candomblé, dos deuses africanos, os Orixá.

Salvador está sempre envolvida por um exótico aroma de azeite de dendê, fruto da palmeira de mesmo nome e principal ingrediente das famosas comidas baianas, como o caruru, vatapá, acarajé e abará.

Algumas das comidas dos orixá, e a moqueca, iguaria muito popular que pode ser preparada tradicionalmente com dendê e leite de coco (opcional) e muitos outros ingredientes e temperos, utilizando peixe, camarão, mariscos e frutos do mar em geral, além de carne bovina, fato, bofe e também ovos de galinha. Baianas tradicionais – muitas “de Santo” – vendem acarajé, abará e outras iguarias em seus tabuleiros nas esquinas e praças de Salvador.

Muitas famílias da cidade, das mais humildes às mais abastadas, ainda recebem parentes, vizinhos, amigos e amigos dos amigos, para o caruru dos santos gêmeos Cosme e Damião (na maioria das vezes essa refeição festiva é realizada como pagamento de promessas aos santos) ou recebem também para “rezar o Santo Antônio” também regado a caruru.

Os maiores atrativos da velha capital são a sua forte cultura e seu povo alegre, hospitaleiro, musical, místico e criativo. Seu clima tropical com dias claros e ensolarados em todas as estações do ano e muitas praias tranquilas com coqueirais, águas seguras e temperaturas muito agradáveis, a exemplo das praias do Porto da Barra, Farol da Barra, Piatã, Itapuã, Stella Maris, Aleluia e muitas outras.

Cidade cantada em prosa e verso pelo mundo afora, é o berço de grandes poetas e artistas. Muita música, muita ginga, muito dengo, muitos ritmos e celebrações vibrantes em cada esquina, em cada praça, em cada canto da cidade. Muitas festas e o Carnaval de Salvador, reconhecido como um dos maiores e melhores do mundo e, de longe, o maior evento de público e da economia cultural da cidade.

O Centro Histórico de Salvador, também chamado de Pelourinho, é o maior conjunto arquitetônico colonial do Brasil, reconhecido como Patrimônio Cultural da Humanidade pela UNESCO. Lá se encontram, além de históricas igrejas e sobrados coloniais, teatros, museus, centros culturais, lojas, restaurantes, bares e uma infinidade de outras atrações.

São inúmeras as motivações desta Cidade de Salvador única para todos os segmentos do turismo de viagens, eventos e negócios.

Salvador é uma cidade que não se descreve: experimenta-se. Salvador é uma festa para os sentidos!

Elevador Lacerda: Um elevador que liga duas cidades; Trio Elétrico: um palco que anda; Banhos de mar, de pipoca e de folha; rua do Tira Chapéu; rua do Cabeça; rua Cova da Onça; rua da Baixa do Sapateiro; Ladeira da Preguiça, Ladeira da Água Brusca. Essas curiosidades e muitos outros logradouros nos remetem à história e estórias da cidade.

Salvador hoje segue padrões das grandes cidades turísticas modernas.

Uma grande e moderna rede hoteleira com completa estrutura para eventos, congressos e convenções; muitos voos diretos domésticos e internacionais; operadores de turismo receptivo de padrão internacional; modernas marinas e iates  clubes; ótimos restaurantes para todos os padrões e gostos e muitos lugares interessantes para conhecer e divertir-se de dia e de noite.

Salvador dispõe de diversos espaços para eventos, alguns estão disponíveis nos grandes hotéis, a exemplo da “Itaipava Arena Fonte Nova” - associada da Salvador Destination – (O espaço tem capacidade para abrigar eventos com até 70 mil pessoas)

 Salvador é uma cidade festeira. Não falta local para realização de shows e espetáculos musicais o ano inteiro

Antigo espaço Wet & Wild; Parque de Exposições Agropecuárias; AABB e outros clubes sociais e muitos outros mais.

Inúmeras embarcações como lanchas, veleiros, saveiros e canoas são sempre vistos navegando pela orla de Salvador e Baía de Todos os Santos, que nos séculos passados movimentava todo o comércio e transporte de mercadorias e da população.

A cidade e a baía são velhos conhecidos dos velejadores como porto de escala e recebem muitos veleiros e regatas internacionais em diversos atracadouros e marinas com instalações charmosas - algumas muito bem estruturadas - na cidade, nas ilhas e na Baía de Todos os Santos.

Do Terminal Turístico Náutico e da Enseada dos Tainheiros pode-se embarcar em saveiros e lanchas, com destino às ilhas e às diversas localidades de especial interesse turístico do litoral da Baía e do Recôncavo (região geográfica no entorno da Baía de Todos os Santos). Do Terminal de São Joaquim, modernos ferry-boats ligam Salvador à Ilha de Itaparica e à BR-101.

Centros comerciais e grandes shopping centers são uma ótima opção para compras, encontrar pessoas e aproveitar o jogging, circulando por onde estão a grande maioria de grifes, lojas de departamento e os complexos de cinema, a exemplo do Shopping Barra.

A cidade oferece acomodação para todos os gostos e padrões, desde albergues a hotéis  internacionais. Salvador dispõe de 414 meios de hospedagem e quase 40 mil leitos.

O Aeroporto Internacional Deputado Luiz Eduardo Magalhães, é um dos mais movimentados do país. Em 2014, movimentou quase 10 milhões de passageiros.

Segundo a Codeba – Companhia das Docas do Estado da Bahia - A previsão de cruzeiros marítimos 2014 / 2015 indicava a atracação de 72 navios no Porto de Salvador.

Da cidade de Salvador partem as Rodovias Federais BR-110 e BR-324. A partir delas outras Rodovias Federais fazem ligação do estado da Bahia às principais cidades do país.

O Salvador bus oferece serviço regular de sightseeing na cidade em confortáveis ônibus climatizados de dois andares; o Corujão Salvador, programa lançado pela prefeitura, disponibiliza linhas de ônibus durante toda a noite para atender os amantes da noite e a imensa população jovem que vai aos festivais e grandes shows musicais que acontecem durante todo o ano.

Ciclovias com serviço self-service de aluguel de bicicletas por toda a cidade e ao longo das praias, desde o Farol da Barra até o Farol de Itapuã; calçadões com coqueirais; muitas praças públicas e novas vias expressas interligam toda a cidade.

Algumas atrações imperdíveis:

Centro Histórico – Pelourinho; Catedral Basílica; Igreja e Convento de São Francisco em estilo Barroco; Basílicas do milagroso Nosso Senhor do Bonfim e de Nossa Senhora da Conceição da Praia; Museu de Arte Sacra, no Convento de Santa Tereza; Museu de Arte Moderna – MAM; Museu Carlos Costa Pinto; Algumas das bibliotecas mais antigas do país; Feira de São Joaquim; Mercado Modelo; Elevador Lacerda e Plano Inclinado Gonçalves; pôr-do-sol na Ponta de Humaitá e a Enseada dos Tainheiros; Farol da Barra e Museu Náutico; Itapuã, com sua tradicional feira e seu novo mercado municipal, onde está a misteriosa Lagoa do Abaeté, morada de D. Oxum, no candomblé, Orixá das águas doces; o Dique do Tororó, com as estatuas dos Orixá e muito mais:

Feira de São Joaquim - A feira a céu aberto se espalha por dez quadras, em 22 ruas, um espaço de mais de 60 mil metros quadrados. São 7.500 feirantes em mais de quatro mil boxes, que vendem alimentos típicos (rapadura, camarão seco, tapioca), temperos, folhas sagradas e medicinais, artigos religiosos, principalmente de candomblé, artesanato de palha e cerâmica, frutas, verduras, legumes, carne, peixe e até animais vivos, trazidos de diversas partes do Recôncavo Baiano.

Fundada há 41 anos, a feira de São Joaquim está em pleno processo de obtenção do título de Patrimônio Cultural Imaterial do Brasil, conferido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional - IPHAN. E não é para menos. Nas ruas com nomes como rua do coco, da farinha, das cerâmicas, o porto da cana e o largo do quiabo, os visitantes encontram de tudo, desde os produtos de primeira necessidade até as receitas para tirar mau-olhado, limpeza de casa, atrair um amor, contra inveja, ganhar dinheiro, etc. 

Mercado Modelo - Tradicional centro de artesanato da Bahia. Considerado um dos principais pontos turísticos da capital baiana, o Mercado Modelo reúne o que há de mais expressivo nas tradições locais, desde trabalhos de arte naifee artesanato, realizados por artistas e artesãos, até a tradicional comida típica.

Outras feiras e mercados populares também oferecem inúmeras opções de lazer cultural e compras.

Tudo que uma metrópole moderna e histórica com vocação natural para o turismo deve oferecer e mais aquelas coisas que só Salvador pode!

O futebol, paixão nacional, é também a maior paixão dos baianos. Na moderna Itaipava Arena Fonte Nova e noutros estádios, realizam-se grandes partidas de futebol.

A capoeira é o segundo esporte dos baianos. O mergulho e a caça submarina, o ciclismo, as competições de barcos a vela e windsurf são também muito populares e mais recentemente o surfboard padlle.

Além da capoeira e do futebol, o surf e o boxe são esportes tradicionais em Salvador e também tem revelado, a exemplo dos dois primeiros, campeões nacionais, internacionais e mundiais

Nesta cidade cosmopolita existe uma forte cultura musical  herança das muitas danças e ritmos pulsantes e fortes dos negros africanos e sua religião e dos índios, primeiros habitantes dessa terra musical.

Os ritmos musicais mais tradicionais entre a população são o samba, o forró, o axé e o pagode. Mais recentemente o rap, o hip hop, o pop e a música eletrônica se tornaram muito populares. Mas há também movimentos de MPBjazz e rock acontecendo em Salvador. Ouve-se também muita música  afro-brasileira.

Ótimos shows estão sempre em cartaz com boa música nos teatros, casas de espetáculos, bistrôs e barzinhos.

Não é a toa que o “Trio Elétrico” e a Axé Music, invenções baianas, conquistaram o Brasil e o mundo.

Por tudo isso e todas as outras coisas que você descobrirá pessoalmente, traga seu evento para Salvador. Fale com a Salvador Destination.

Saiba mais